Imagem de Amostra do You Tube

até isso um livro pode fazer

Até isso o livro pode fazer!

Viva o povo brasileiro

Posted in BLOG, Livros, Recomendações por Ludmila Maurer | Tags: , , , | Comentários desativados

IMG_0127 (2)

Para quem gosta da história das maravilhas da Língua Portuguesa, Viva o povo brasileiro enumera ao leitor motivos de grandeza poética, sintaxe trovadoresca, metafísica assumida num mundo simbólico novo de narratividade múltipla, regida por outros deuses, que não apenas seu criador João Ubaldo Ribeiro.

Para quem gosta de estilo grandiloquente que se converta em ironia, a visão baianocêntrica de João Ubaldo traz ao leitor o romance que encarna o nascimento mítico de uma nação, o simulacro do mundo cuja leitura suscita uma epifania, segundo apresentação de Geraldo Carneiro.

A vivificação da história da Bahia através do conjunto de múltiplas vozes tem seu encanto simbólico, por exemplo, na fala de Dadinha, que resgata crenças populares; com Patrício Macário e seu discurso do Bem e do Mal, do Espírito do Homem como invenção necessária porque se anseia a perfeição – que é o Bem; Maria da Fé, personificação da fé na justiça, da voz do povo que deseja a não escravidão, a Terra Livre; na voz de Nonô, um verdadeiro momento de escárnio frente a uma condição político-econômico-social tal qual à linguagem peculiar ao povo.

Com o anti-herói Perilo Ambrósio, o leitor tenderá à lembrança dos caraíbas, no ano de 1530, quando a colonização do Brasil se iniciou na prática. Perceberá que a ingênua aliança dos nossos Tupiniquins com os profetas (portugueses) na guerra contra os tupinambás-tamoios, aliados dos franceses, só os trouxe à extinção por volta de 1570. Amarga ironia constituída na maior e mais grandiosa chance de “redenção” – que os europeus jamais desfrutaram, e que trataram de desperdiçar irremediavelmente.

O que aflora e cresce junto à leitura das vibrantes 700 páginas de Viva o povo brasileiro é um sentimento forte de brasilidade, de reconhecimento de uma grande mestiçagem que finca nossa identidade neste torrão natal. Indo além, parece ser tal reconhecimento de grande benesse para se arraigar a alteridade.

Segundo o próprio Ubaldo, ninguém sabe nada (ponto de partida para O albatroz azul, mais recente romance do escritor), mas é certo afirmar que o olho vê, a lembrança revê, e o homem - João Ubaldo Ribeiro -transvê (Manoel de Barros). Eis a literatura, brasileira, cumprindo seu papel.

Editora: Nova Fronteira
Preço sugerido: R$ 74,90
Resenha: Ludmila Maurer

http://www.nofiodapalavra.com.br/wp-content/uploads/2009/11/video.flv

TV ZOOM

Assista também a entrevista com Ludmila Maurer (Setembro de 2011)